Social Icons

DESTAQUE

PURO STYLE - SE EU TE PERCO (VIDEO)

Puro Style é o grupo que juntou integrantes dos SSP e O2 (N'SexLove) , este video tem como título Se Eu Te Perco, consta do album...

21 dezembro 2014

MISTER K NOS KALIBRADOS (NOTICIA)



O show de boas festas da UNITEL realizado em 20 de Dezembro no estadio dos Coqueiros em Luanda, teve inúmeras surpresas, entre elas uma que ninguém esperava, no fim da performance dos Kalibrados, Mister K entrou ao palco juntando-se aos parceiros do negocio fechado e cartas na mesa para interpretar o tema Bambriban do segundo álbum do grupo,  o público reagiu eufórico com este grande presente que os Kalibrados deram aos seus fãs e amantes do rap feito em Angola.
Mister K ao partilhar o mesmo palco com Vui Vui, Kadaff e Laton levantou uma pergunta, voltou ou não aos Kalibrados? Sem mesmo o grupo manifestar-se publicamente sobre o assunto, nas redes sociais os fãs dos Kalibrados manifestam o desejo de ver o artista de volta ao grupo, fazendo afirmações positivas, mas a verdade é que Mister K subiu ao palco a convite do grupo apenas para dropar os versos das músicas que participa.
Mister K não voltou aos Kalibrados, a afirmação surge em função de uma conversa oficiosa que este blog manteve com o Vui Vui, o líder do grupo que revelou que a performance de Mister K com os Kali no show Boas Festas da Unitel, não foi por acaso ou seja os fãs terão a oportunidade de o ver novamente em palco com os Kalibrados no âmbito da celebração dos 10 anos do álbum Negocio Fechado, que deverá acontecer em 2015. Perguntado sobre a possibilidade de no futuro Mister K voltar a fazer parte novamente do grupo, o artista focou o facto de que o novo álbum dos Kalibrados, o Diários da República já estar gravado sem a voz de Mister K e um regresso nesta altura, deverá mexer com toda a estrutura criada para efeito; Sem descartar hipóteses, Vui Vui manifestou a preocupação de nesta altura repor a verdade, que é “Mister K deverá celebrar com os Kalibrados os 10 anos do álbum Negocio Fechado” o que vem a seguir, só o tempo dirá.
Este blog deseja êxitos aos Kalibrados e que a participação do Mister K nos projectos do grupo culmine com aquilo que o público e fãs dos Kalibrados mais querem, que o K de Calibrados seja K de Mister K.

@dinocross (intagram, twitter)

18 dezembro 2014

MAKAS - SEMPRE EM MOVIMENTO (VIDEOCLIPE)



Makas, é um rapper da velha escola do hip hop angolano, fez parte da "Coligação Forever" um grupos mais bem sucedidos na altura. Makas está de um volta com o single "Sempre Em Movimento" que fará parte do seu primeiro album a solo, a musica conta com a participação de Lawilca.

16 dezembro 2014

NOVO ALBUM DE CFKAPPA VAI AO ELIGA DIA 20

CFKAPPA prepara-se para a venda e sessão de autografo do seu mais recente trabalho discográfico com o titulo "Redireccionando Influências", no dia 20 do corrente mês no Elinga Teatro, em Luanda. 
A titulo promocional o artista divulgou para a internet, o videoclipe da música "Mutatis Mutandis" que traduzindo do latin significa Mudando o que tem de ser mudado, uma faixa que conta com a participação da menina Inês Ribeiro.



15 dezembro 2014

SIXCKIM PALESTROU HIP HOP NA MEDIATECA DE LUANDA


A MEDIATECA DE LUANDA em parceria com o Musico Rap Sixckim realizou uma palestra subordinada ao tema: “Origens do HipHop e o seu contributo positivo na paz”, no dia 21 de Novembro, sexta-feira, a partir das 15:00, no auditório da mesma instituição, no âmbito da promoção e divulgação da música Rap.
A Mediateca tem como objectivo facilitar o acesso à informação e ao conhecimento necessários ao desenvolvimento socioeconómico, contribuindo para a formação e aperfeiçoamento do capital humano, ao mesmo tempo que alarga o acesso à cultura e a utilização de novas tecnologias de informação, geralmente gratuitamente.
A palestra foi ministrada pelo Rapper Sixckim, musico angolano, no âmbito da divulgação da musica RAP em parceria com a mediateca de Luanda.
Resumo Palestra: Origens do HipHop e o seu contributo positivo na paz
O hip-hop surgiu na década de 70 como um movimento cultural entre os latino-americanos, os jamaicanos e os afro-americanos da cidade de Nova York mais precisamente no sul do Bronx.
O disc-jockey Afrika Bambaataa é considerado como o pioneiro e criador deste movimento social altamente influente.
Em 12 de Novembro de 1973, fundou a Zulu Nation, uma organização com objectivos de auto-afirmação que promovia o combate através das quatro vertentes do hip-hop e que invocava “Paz, União e Diversão”. Esse dia é, até hoje, celebrado como sendo o dia do nascimento do hip-hop.
Ao longo do processo de internacionalização da música RAP e do movimento cultural HipHop, existem várias referências históricas como os pioneiros desta cultura assim como alguns percurssores de várias ramificações e subgêneros do HipHop. Com base na revisão bibliográfica e principalmente pesquisa arquivística nas bibliotecas digitais e analogas, a palestra de Sixckim abordou algumas fases do percurso histórico deste movimento cultural internacional, ampliando o entendimento sobre as práticas musicais que esses cantores protagonizaram tanto nos estados unidos da America, entre 1967 e 2010, como em Angola entre 1985 e 1996.
O palestrante propôs uma reflexão em torno da produção científica e artística de musicólogos, compositores e outros agentes da criação musical em Angola.Refletiu-se sobre quais seriam, perante os repertórios internacionais, os desafios e soluções para a afirmação de um repertório musical mais consistente. 
A palestra contou com a participação do produtor Angolano Faggman, o Mc angolano Davilas MC e do Break Boy Kila, líder do grupo de BBoy Estilo Urbano.
Para esta temporada estão agendas palestra na bairro Palanca, no bairro da Mabor Sonef, Talatona, em Cacuaco no dia 20 de Dezembro 2014. 
Para eventuais pedidos de palestras na sua zona de residência ou bairro contacte o numero 921370547.

11 dezembro 2014

PLUTONIO - HISTORIAS DA MINHA LIFE (VIDEO)

MCK CONDOLÊNCIAS (VIDEO)

"Não é necessário rimar nem alcançar a fama, o importante num bom tema, é informar" este é o coro na voz do malogrado Beto de Almeida na música Condolências do MCK, o tema é um remake da música informar de Tó Cubano e refeita por Katrogi como um tributo ao passamento físico do grande artista que foi o líder da dupla Irmãos Almeida, que com uma carreira brilhante deixou a sua marca em temas que acompanharam as varias fases que viveu o nosso pais.

Este videoclipe chegou ao youtube em finais de Julho, e como o tema abordado continua actual face a realidade do nosso dia-a-dia, achamos oportuno divulga-lo agora como um convite a reflexão, alias, os temas sugeridos por MCK, tem esse caracter interventivo que em muito contribui para o entendimento e analise dos factos sociais; "google básico" com o nome do artista, vai levar-te a um universo de informação. 

Em breve MCK irá lançar uma pendrive com músicas e videoclipes, fique atento as novidades que se aproximam, enquanto isso veja o video….




02 dezembro 2014

A QUASE MORTE DO KAUS O MOZCOPATA, SAIBA O QUE REALMENTE ACONTECEU AO ARTISTA (ENTREVISTA E MUSICAS)


Com o lançamento da Mixtape de Volta as Raízes Vol. 1, Kaus o ex-integrante dos Trio Fam, levou a público um desabafo a que chamou “A quase morte do Kaus”, (para quem baixou as músicas promocionais, ou comprou a mixtape pode encontrar na pasta bacela), onde fala de forma resumida sobre a má fase que viveu.

Para percebermos melhor o que realmente se passou, já que aos nossos ouvidos e com certeza que no de muitos dos nossos leitores também as coisas não ficaram devidamente claras, nos baseamos no desabafo e entrevistamos o Kaus o Mozcopata para falarmos um pouco sobre este assunto e sobre um possível regresso a Trio Fam, uma coisa podemos adiantar-vos a resposta é animadora.

Para quem ainda não adquiriu a Mixtape de volta as raízes pode adquiri-la via #Whatsapp: +258872091982 ou #Email: KappaMoze@rapmoze.com, mas as musicais promocionais, podem ser baixadas gratuitamente no fim desta publicação.


DINO CROSS: Tu falas muito de uma certa verdade, que acabaste não falando, que verdade é essa? O que pretendes dizer afinal?
Kaus: Não pretendo dizer. Eu queria apenas chamar a atenção dos que eu sentia que me haviam abandonado. Mas não cabe a mim julgar as pessoas. Eu deixo isso nas mãos de Deus. Eu não sou perfeito.  Quem sou eu para apontar dedos? Mas sinto que houve muita injustiça na maneira que a minha má fase foi gerida pelos meus

DC: Quem tu sentiste que te abandonou, e em que altura da tua vida isso aconteceu?
Kaus: Alguns amigos, pessoas e familiares... Há muita coisa sobre a minha pessoa que muitos não conhecem sou figura pública sim. Mas antes disso sou apenas um ser humano

DC: Tua má fase traduzida para se compreender como foi exactamente?
Kaus: Sei que muitos relacionam a minha má fase, apenas com os meus ex colegas e para sempre amigos: Trio Fam, foi muito mais profunda que isso.

DC: Falaste em Trio Fam, a tua má fase tem alguma ligação com algum acto dos teus amigos?
Kaus:
A minha saída da #TrioFam e da #Mukheru foi apenas um terço do problema

DC: Escolheste ficar no lado dos bons, quem são os bons e os maus?
Kaus: Eu nunca vou mencionar nomes... Não faz o meu estilo. Como havia dito, era uma chamada de atenção apenas

DC: Arrependeste de a ter feito?
Kaus: Não quero construir uma nova carreira com base em problemas e decepções, sou rapper e aprendi que #rap é sinônimo de #verdade, eu apenas expresso a minha verdade nas minhas intervenções musicais.

DC: Perdeste tudo, o que perdeste na pratica?
Kaus: Amigos, emprego, dinheiro, afeto dos que eu era capaz de por a mão no fogo por eles e em alguns momentos, a minha saúde, também fui assaltado, sou informático, roubaram quase toda minha informação pessoal, projetos e etc, já deves imaginar como foi recuperar dessa perda enfim, duvido que um gatuno fosse querer roubar o meu bloco de notas Ou melhor Os meus blocos de notas

DC: Falando em roubo, numa das tuas musicas dropaste "Mukheru que não rouba nem aldraba" Porque usaste essa linha na musica, houve alguma situação de rouba na tua sociedade MUKHERU STUDIO?
Kaus: Que eu saiba, fomos roubados na sociedade que era constituída por três elementos, tecnicamente fomos roubados, do que eu sei e que é facto...  O que foi o Diretor Geral confessou que havia cometido várias irregularidades na gestão da empresa. Isso na presença do terceiro sócio e o mesmo não achou que isso fosse motivo suficiente para ele se retirar da empresa, visto que eram dois que dividiam da mesma opinião... Eu decidi sair.

DC: E uma das conseqüência disso foi a sua saída do grupo?
Kaus: Sim

DC: Abalou a amizade?
Kaus: Sem duvidas. Tenho dois filhos, eles são a minha vida, é com a música e a cultura que eu decidi alimentar lhes... Decidi viver a minha vida Longe de expectativas.

DC: Vamos falar um  pouco sobre maluquice: disseste que tu és o terceiro tipo de maluco. Em alguma altura foste dado como maluco?
Kaus: Quando não se faz o que a maioria faria numa dada situação a pessoa é geralmente dada por maluca, e foi o que aconteceu comigo,  Nb: Na minha opinião, muitos dão mais valor a bens materiais do que a valores humanos, Eu abri mão dos bens materiais e de viver de aparências...
Atenção: Gosto de bens materiais, e sei que terei isso novamente, mas não é fácil recuperar valores humanos perdidos, estou a trabalhar arduamente... Sei, é só uma questão de tempo para voltar a ter em dobro tudo que me roubaram. Agora... Lealdade e Confiança não tem preço.


DC: Em alguma altura te achaste estares maluco?
Kaus: nunca... Achei sim que me estivessem a fazer de maluco. Nb: eu cometi muitos erros na má fase da minha vida, erros esses que ainda estou a pagar por eles, mas nada que, na minha opinião justificasse a maneira com que fui tratado.

DC: A má fase foi estares doente. O que originou esse teu mal estar?
Kaus: Lamento te informar que não é possível apontar apenas um aspecto como a causa dos meus problemas, foi um efeito dominó.

DC: Nada a ver com drogas?
Kaus: Hehehe, contra factos não há argumentos. Que eu saiba não me foi apresentado nenhum facto que sugerisse que eu estivesse envolvido em consumo de drogas, apenas boatos, não acho que me devo justificar de algo sem fundamento, só porque alguém achou que devesse apimentar a minha história.

DC: Não fases nem fizeste uso de drogas?
Kaus: Mas não vou responder a uma pergunta sem fundamento. Diga me algo, sem emprego, sem amigos e sem dinheiro... Qual é a primeira impressão? Eu trabalhei duro durante vários anos da minha vida, é para mim um insulto acharem que durante esses anos todos andei a juntar dinheiro para gastar com drogas.

DC: Passado alguns meses como está a sua amizade com os teus ex-sócios da Mukheru e teus amigos da Trio Fam?
Kaus: Cordial, desejo lhes muita sorte em suas novas associações e negócios..

DC: Tem alguma coisa que fizeste na vida que te tenhas arrependido?
Se tivesses que pedir desculpas a alguém a quem o fazias?
Kaus: Na vida, muitas coisas. Se tivesse que pedir desculpas pediria ao meu irmão... Ele não esteve diretamente ligado aos meus problemas mas acredito que que foi um dos que mais sofreu com tudo isto. Devo lhe muito... Ele viu a minha verdade nua e crua e como irmão mais velho acredito que não lhe passei os melhores exemplos na minha má fase, muito pelo contrário, foi ele quem me passou exemplos de vida, sou muito grato por lhe ter em minha vida, o amo bastante

DC: De quem esperas pedido de desculpas?
Kaus: Ninguém

DC: Complete a frase: minha a vida seria mais justa se...
Kaus: A minha vida é justa. Estou a colher o que plantei. Não como eu esperava mas estou a colher o que há 17 anos plantei no hip hop, #RapMoze em particular.

DC: Um possível regresso a Trio Fam é um assunto em aberto ou o que podes dizer acerca?
Kaus: Trio Fam faz parte do meu ADN

DC: Então sempre se pode sonhar com uma regresso do Kaus:?
Kaus: Só Deus é quem sabe. Eu só não quero mais nenhuma relação do negócio com nenhum deles.

DC: Há alguma coisa que gostarias de dizer que não foi dito no teu desabafo nem nesta entrevista?

Kaus: Apenas fazer lembrar a quem está a ler esta entrevista que o que não nos mata só nos torna mais forte. Aprendi muito, com esta experiência, e tenho muita fé que melhores dias virão.

DOWNLOAD
Músicas promocionaisLINK 2

30 novembro 2014

KAUS O MOZCOPATA - DE VOLTA AS RAIZES (DOWNLOAD)



De volta as raizes é o primeiro rebento do KAUS depois de sair da Trio Fam, na tentativa de afirmar-se na carreira a solo. Este blog faz votos de êxitos nessa nova fase do artista. 

Faça download das músicas nos seguintes link:





28 novembro 2014

ROLD B FEAT HERNANI DA SILVA & VEIGH - A MELHOR (LIVE PERFORMANCE)

Curtam o video da performance da música A Melhor, de Rold B com a participação de Hernani da Silva Mudanisse e Veigh, no Elvis Bar.
 

KILLA HILL - MÚSICAS PROMOCIONAIS


Já não é segredo para ninguém que os Killa Hill vão lançar novo álbum, também já não é novidade as músicas promocionais, está em todos os blogs, mas ainda assim, resolvemos partilhar com aqueles que esperam encontrar divulgadas aqui e com a abordagem diferente que nos caracteriza.
Para quem ainda não fez o download das músicas dos Killa Hill, aproveite o link a baixo e faça o seu download, já agora não custa ver o videoclipe também.


KEIMA ROUPA - KEIMA (DOWNLOAD)

Keima é o single promocional do novo trabalho discografico dos Keima Roupa, a música está a ser bem aceite e toca em todas as rádios, se ainda não tiveste a oportunidade de baixar ai tens o link. faça download e deixe o teu comentário.


27 novembro 2014

G2 - SÓ TU (NOVA MÚSICA DOWNLOAD)


Muito falou-se sobre a longa ausência do G2 no mercado, muitos até levantaram a hipótese de que o artista atracou na rocha, a verdade em torno desse assunto é que este R&B Moz King está a trabalhar no seu próximo álbum com toda a dedicação e cuidado, afastando-se de toda a pressão. A música "Só tu" vem a provar que G2 está firme e dedicado ao trabalho. Faça download, curta a música e deixe o seu comentário. 


26 novembro 2014

T-RESE FT CHRISTAL - BOLA (VIDEOCLIPE)



Este é o terceiro videoclipe da T-rese, surge numa altura em que a artista prepara-se para apresentar algumas novidades, fique ligado que ela não está parada e em breve teremos muita boa coisa para partilhar, por enquanto curta este video Bola com a participação de Christal

24 novembro 2014

KENDRA MARTINS #EP FURAÇÃO (DOWNLOAD)


Depois do lançamento de três faixas promocionais e de algumas campanhas para publicitar ao máximo o seu EP, a MC angolana de 16 anos "Kendra Martins" disponibilizou o seu EP intitulado "O Furacão", que conta com algumas participações, entre elas os já experientes rappers Kool Klever e Girinha que acabam assim apadrinhando a mesma.

Segundo "Kendra Martins" nas entrevistas que foi dando as emissoras radiofónicas e blogs de rap, o EP tem como objectivo principal, apresenta-la ao mundo da música. Com este EP ela pretende dar a conhecer um pouco do que aprendeu durante o seu curto percurso no Rap.


HIP HOP MOZ PARA DOWNLOAD


DICE FEAT SHIT BOY - BABALAZA


Bander – É Artista Feat. Bob Sam, Hernâni, Slim Nigga, Kamane, Lay Low, Bilimbao, K9, Case, Cr Boy, Ogah Ciz, Hustler Boy, Eddie Angel; Son Z


 Kaus Feat. Rage, Ell Puto, Slim Nigga, Rolex; Classic La Familia – Maputo


D-LON - NÃO PRECISA

RRPL - MENTE MAGIKA VS MAESTRO BEYA (FREESTYLE)

Assista a grande batalha dos Reis do Rompimento, o vencedor do ano passado, (2013) Mente Magika Vs Maestro Beya o vencedor de 2014, curta.



16 CENAS - BATER PARA DOER (MIXTAPE)


16 CENAS foi o grande vencedor da primeiro edição do Rapódromo, um concurso de Freestyle que o Duas Caras tem vindo a organizar em Maputo. Depois da grande victoria o próximo passo foi lançar essa mixtape. Será que 16 Cenas é tão bom estudio como é nas batalhas de freestyle? Baixe a Mixtape e deixe a sua opinião


KEITA MAYANDA, NKRUMA SANTOS E DJ NKAPPA: A INFLUÊNCIA NEGATIVA E POSITIVA DAS LETRAS (OPINIÃO)

Tem se afirmado que as músicas mais ouvidas e dos artistas populares influenciam positiva e negativamente no comportamento das pessoas, para  sustentar essa conversa, certa vez um programa da Rádio Luanda chamou atenção e responsabilizou os artistas que estão actualmente no top sobre o comportamento negativos dos seus fãs; Sendo verdade ou procurando analisar a questão, levamos o tema a consideração de alguns envolvidos directamente na cultura hip hop, é desta forma que Keita Mayanda, Dj Nkappa e NKruma Santos, pessoas que já têm considerados quilómetros de rap percorridos, deram a sua opinião.

Perguntamos o seguinte:
1 - Como caracteriza as letras das músicas mais populares no rap feito actualmente?
2 - Até que ponto o rap feito hoje influência NEGATIVAMENTE no comportamento das pessoas.
3 -  Até que ponto o rap feito hoje influência POSITIVAMENTE no comportamento das pessoas.
4 - Que comparação faz ao que se escrevia antes e hoje e como as pessoas reagiam ao que ouviam?
5 – A que conclusão chegou? a) o rap feito hoje, recomenda-se? B) Para melhorar qual seria a na sua opinião a solução?


KEITA MAYANDA:
Rap em Angola “existe uma limitação temática,”

1º eu não oiço música popular, mainstream ou comercial e não é por razões ideológicas, simplesmente não gosto, nunca gostei e não vou gostar. Quando digo não oiço é: não tenho sequer curiosidade em saber porquê certa música está tão popular, ou sobre o que fala ou falam os artistas mais populares hoje, suponho que seja sobre festas, rabos, jantes, noitadas, as bitches, a riqueza aparente.

2º Essa não é uma pergunta com resposta fácil. Eu não creio que uma música possa levar a um comportamento considerado negativo ou condenável, per se, creio que precisa haver uma disposição do ouvinte para agir de forma condenável, dizer que o rap de hoje em dia influencia negativamente o comportamento da juventude é colocar em cima do rapper a total responsabilidade pelo comportamento dos ouvintes e isso não é verdade. Vejo no facebook muita gente a usar o NGA como exemplo de má influência através da música e tenho dúvida de que alguém consiga provar que existe uma relação directa entre ouvir NGA e o aumento do consumo de álcool, tabaco ou liamba. É preciso perguntar porquê é que entre os fãs do NGA existem pessoas que não bebem, fumam ou sonham com a Pérola? porque cada um é responsável último pelo seu próprio comportamento, o NGA e a sua música não são um psicoactivo para alterar o julgamento dos ouvintes, tão importante quando os temas que ele trata é a maturidade e o bom senso de quem o escuta.

3º Tal como no caso da má influência creio que um rap influenciar positivamente depende também da disposição do ouvinte para agir pelo bem. O rap é antes de tudo entretenimento, pode ser usado para educar ou para elevar a consciência das pessoas, mas mesmo quando ouvimos uma música que nos exorta para o bem, somos nós a decidir se faremos o bem. O que eu percebo quando se usa o termo influenciar as pessoas querem dizer que vai necessariamente levar o ouvinte a agir de uma determinada maneira e isso não é verdade. Muitos ouvintes gostam de ouvir rap consciente, mas sobretudo porque lhes soa melhor ouvir uma mensagem positiva do que outra, portanto acabam por se entreter a ouvir alguma coisa inteligente, é comparável a ler um bom livro e desfrutar do prazer que a leitura proporciona.

4º A escrita do rap em Angola, fundamentalmente, não se alterou muito apenas se fragmentou, quero dizer surgiram indivíduos com habilidades mais variadas, mas de certa forma existe uma limitação temática, uma falta de domínio de temáticas mais complexas. Nos anos 90 por causa da escassez de novidades as pessoas reagiam às músicas com muito mais agrado, quase religiosamente, hoje é fácil lançar músicas em formato de cd, aos quais chamam álbum ou mixtape e o cuidado com as letras não é o mesmo, porque um indivíduo sem muito treino na escrita que se vê compelido a escrever 15 letras acaba por despachar uma boa parte delas, ou falar sobre assuntos que não domina, ou a orientar mal os temas.

5º Existe hoje bom e mau rap, sempre existiu e sempre existirá, mesmo durante o período conhecido como The Golden Era (da segunda metade dos anos 80 à primeira metade dos anos 90) havia mau rap, muita gente saudosista gosta de dizer que hoje em dia não se faz bom rap, muita gente incluindo rappers, que dessa forma estão a passar um atestado de incompetência a eles mesmos, é melhor desistirem talvez sejam vocês a impedir que o bom rap seja ouvido.

Nkruman Santos:
“O comportamento das pessoas hoje é que influência negativamente as músicas que ouvimos”

1- Normais. Representam muito daquilo que as pessoas que ouvem fazem no seu quotidiano.
2- Acho que é ao contrário.  O comportamento das pessoas hoje é que influencia negativamente as músicas que ouvimos
3 - Acho que influencia pouco. Acho que poderia ser mais positiva, trazendo outros pontos de vista, diferentes daqueles que a juventude vive - numa perspectiva evolutiva. Entendo que música pode trazer alternativa, uma visão de causa e efeito para que possa também contribuir positivamente.  Mas não é o que vemos hoje.
4- Acho que antes havia uma maior preocupação social nos temas. Mesmo o "amor" era cantado com mais densidade. Existem no presente artistas com qualidade musical igual ou superior aos de outrora. Mas a riqueza musical penso não ser a mesma.
5- A música reflecte exactamente o grosso da sociedade que temos. Para mudar a música teríamos que mudar a mentalidade das pessoas. Fazê-las desenvolver gostos alternativos. Por outro lado, os media (oficiais e sociais) poderiam desenvolver campanhas de publicitação de músicas diferentes mas não se lhes pode obrigar à nada. Só o tempo dirá.

Dj Nkappa:
O problema está naquilo que se promove e se consome

1ª - Penso que nunca devemos pensar que uma coisa esta mal, quando só vemos um lado da coisa. Eu penso que as letras das músicas feitas hoje, na maioria dos casos, só se adapta a realidade de hoje. Tal como ontem, hoje ouvimos muita música cuja letra retrata uma realidade absurdamente fictícia a realidade do artista, mas isso não é novo por cá, já vimos isso noutros tempos também. Na maior parte dos casos, isso vem de artistas que não são autênticos. Isso não vem dum Kennedy Ribeiro, dum Dabullz, não vem dum Das Primeiro, vem de artistas que andam nisso por ondas e porque podem também fazer isso, pois isso não contem contra indicação. Mas isso não tá mal como se advinha, afinal os artistas autênticos ainda estão ai e a fazer o que sempre fizeram, inovando sem sequer perder o foco da cena. Há ainda na cena, Artistas com uma notoriedade relativamente nova e a fazer muito boa coisa. Sanguinário e Mono Stereo são prova disso, Kallisto, Sombra etc. Eu penso que o problema está naquilo que se promove e se consome
2ª - Infelizmente, o Discurso da música que se promove chega aos ouvintes da forma menos esclarecida e cria essa confusão no pensamento dos mais Jovens. Eu acredito que essa música não influencia alguém na casa dos 30 anos, como diz o meu amigo Edivaldo Dos Santos. Os músicos, pelo menos por cá nunca ouvi, alguém dizer que fumar ou Beber é muito bom, oiço outro tipo de discurso baseado nessa conversa, mas nunca essa apologia de que é bom.
Cabe as pessoas saberem filtrar aquilo que ouvem. Cabe os Medias filtrarem aquilo que promovem aos mais Jovens, Cabe aos Activistas Sociais saberem se pronunciar com relação a essa música.
 
3ª - O Rap toca as pessoas de uma maneira diferente com relação as outras músicas. Nós, desde muito cedo aprendemos que o Rap é música de intervenção social e que os Rappers são Professores, dai que ao ouvir um Rap, Um Leigo começa por prestar atenção ao discurso do Rapper e só depois viaja para os outros cantos dessa mesma música.
Logo, se o discurso for incentivador , ele também começa já a ganhar aquela consciência de que é preciso fazer, é preciso mudar e tal; se for o contrario, ele logo fica pela batida, ou começa a desdenhar a música no geral.

4ª - Continua se a escrever o que cada um quer que se oiça dele, tanto ontem, quanto hoje, eu penso que nada mudou como se diz e se pensa, mudou sim é o tipo de música que se propagou. O Rap alternativo perdeu espaço motivado por esse tal “Veto” por causa dos nomes sonantes do Rap aliados as manifestações e dai que hoje quase só se ouve o Rap do “Fictícismo”. Também penso que exageramos pedindo coisas a quem tem muito pouca experiência de vida. Nem todos são CFKappa, pra escrever maravilhosamente bem e convencer um adulto, até porque há ainda adultos nessa condição de péssimos Rappers. O problema esta mais pautado na autenticidade dos Artistas. O que o Kool Klever escrevia ontem, ainda é o que ele escreve hoje, só que hoje ele relata o hoje. O Phathar Mak, o Yannick Afroman etc.
5ª – O Rap esta bom e recomenda – se sim senhores. Só temos é que saber o que queremos ouvir. Já disse o Nga, que se não queres ouvir falar da rua, não ouves Nga. Diz o Reptile que se não gostas do meu som, é só não pôr Play.

Bem, gostaríamos que este inquérito fosse estendido a alguns rappers bem ouvidos nos dias de hoje, uma vez que está em analise a música feita actualmente, fizemos o convite a muitos artistas incluindo o Cfkappa, NGA e o Ready Neutro, infelizmente por alguma razão, as suas opiniões não chegaram a nós até ao momento em que clicamos “PUBLIQUE-SE”, no entanto, mais importante que uma conclusão deve ser a preocupação de debater-se essa questão despidos de quaisquer ideais e ideas pré-concebidas, o conceito de rap como música de intervenção social não cremos que esteja adulterado, baseada nesta visão o rap foi concebido para despertar a consciência de quem a escuta, logo se a mensagem for negativa não a como desassociar a música, mas é bem verdade também que nunca ninguém disse que fumar, beber e drogar-se é bom. Cabe a cada um de nós saber separar o certo do errado, o bom do mal e claro ter o ideal de que ser popular carrega uma responsabilidade social com os fãs.


DINO CROSS

17 outubro 2014

DUAS CARAS - DINDA FEAT TWENTY FINGERS (EXCLUSIVO)


Depois de muitos contratempos na procura do perfeccionismo, finalmente sai para as ruas, e clubs a nova música de Duas Caras, que conta com a participação de Twenty Fingers, faça download e deixe o seu comentário sobre o que achou do "Tio Duas" neste som.

DOWNLOAD   

R.M.G Apresenta: Guifox - "Tas A Se Dar" (Remix) Feat Zona 5


-->

-->

RAPPERS RESPONDEM A MUSICA DE ANNA JOYCE (DOWNLOAD MUSIC)



TUDO QUE A ANNA JOYCE PRECISAVA SABER ou Tó Numa é a resposta do Slash, Masta Friend, Fdi Crew, Vado Tatto e Big Boss a polemica música da Anna Joyce em que ela compara o Ex-Namorado até com o imaginável; naturalmente, estes bravos jovens assumiram a dor do tal ex e como bons amigos que são saírem em defesa da classe masculina dando a devida resposta, claro que tudo isso é no âmbito musical, não se trata de nenhum beef; Eu gostei da actitude e da música, vale a pena (e toda a galinha hehehe) baixar a música.
  

MIXTAPE - 10 ANOS ZONA SUL


03 outubro 2014

BITSAN - DE SEGUNDA A SEXTA (DOWNLOAD TRACK)


A nova música de Bitsan, de Segunda a Sexta conta as mãos cheias de Kennedy Ribeiro na produção, o produto soou bem aos nossos ouvidos dai que a partilhamos com vocês.

Faça o download


28 setembro 2014

FLYSKUAD ANUNCIA O RETORNO DAS LENDAS DO ROMPIMENTO

Flyskuad anunciou na final da edição 2014 do RRPL (Reis do Rompimento Primeira Liga) que os mc's que brilharam nas ruas e no big show cidade, vão voltar aos palcos para uma batalha com mc's do rompimento actual no dia dos finados  deste ano (2 de Novembro).

Provavelmente estarão frente-a-frente Boy G, Lil Jorge Vs Mente Magica, Paizao e outros.

Vamos esperar para ver.

16 setembro 2014

VOTE EM QUEM NÃO PEGOU LEVE NO REMIX



A Música não pego leve do Rolex, agitou durante algum tempo as ruas, tanto em Moçambique como em Angola, nisso alguns remix sairam, há até Remix de rappers da provincia da Huila, concretamente na cidade do Lubango em Angola.

Ao ver este videoclipe, uma pergunta surgiu-me e gostaria a vossa ajuda para descobrir quem de facto não pegou leve; Dê o seu voto no canto superior direito.

15 setembro 2014

CEF - FUMO NO AR | MUSICA DOWNLOAD



CEF - FUMO NO AR  (Prod. Smash)


Cef - Fumo no Ar (Prod. Smash

Salu B – VAMOS ESTRAGAR ESSE MAMBO [Download Track]


"Vamos Estragar Esse Mambo" é o título da nova aposta promocional que a Rapública Music Group lança à favor do rapper Salu B que conta na mesma faixa com a participação de Wrap Gingo (Keima Roupa).

Baixem e Partilhem!!
Salu B – Vamos Estragar Esse Mambo Feat Wrap Gingo

GUIFOX & ANTÓ PREEZY – “Intro” - [Download Track]

Após a receita positiva que teve a mixtape "Street Gang Vol.2" de Guifox & Antó Preezy, a equipa da Rapública Music Group decidiu soltar faixa por faixa da mesma tape.

"Intro" é a primeira faixa escolhida a ser disponibilizada para download gratuito, a mesma conta com a produção de Jeff e o host do Dj Neip.


Baixem e Partilhem!!


Guifox e Antó Preezy – Intro (Prod. Jeff)


 

Contactos

DINO CROSS +244912204076
http://www.facebook.com/BlogDinoCross

Até agora (desde 20 de Março/08)

free hit counter

Blog Archive

 
Blogger Templates