REFLEXÃO A LUZ DO DIA (big show)

Descanse em paz Big Show Cidade

Geralmente reservo a minha opinião num balanço anual, uma retrospectiva das actividades relacionadas ao movimento hip hop, esta pratica virou moda, só que este ano não tenho como contentar-me com uma analise anual, a partir de agora os balanços em todos os blogs serão semestral (de 6 em 6 meses), e há uma razão especial para isso, o fim do Big Show cidade não poderia esperar o fim do ano.

Indo directo ao assunto, não é segredo para ninguém que e rap em Angola já viveu dias melhores, ou seja já foi bem mais divulgado, desde o ano passado que pouco se ouve e assiste rap nas rádios e tv, pior do que isso é não haver grandes espectáculos de hip hop, os que aconteceram até agora noutros tempos eram chamados de shows alternativos, só que infelizmente, estes até ao momento são as principais formas de manifestação desta cultura, bastante doloroso foi não ver no festival que celebrou a paz em Angola este ano nenhum grupo a representar a classe hip hop, já que em tempos de guerra o rap foi usada para suavizar almas e trazer uma mensagem de esperança, muitos rappers chegaram mesmo a ir cantar em locais de risco, muito surpreende que nesta altura o R.A.P seja posto de lado, até um distraído conseguiu perceber que passava-se alguma coisa de errado, não foi necessário alguém chegar e dizer que proibiram a divulgação do rap angolano nas rádios e TV por causa do que sucedeu no show do Bob da Rage Sense o ano passado, esta bastante claro que esta empatia há uma razão de ser e o único facto que nos apegamos é o discurso e a repercussão que tomou o show do Bob.

O Funeral do BIG SHOW CIDADE
Big Show Cidade, foi o programa de rádio criado e idealizado por Big Nelo no principio de 1999, na altura comentava-se que BIG do BIG SHOW era para associar ao nome do seu criador Big Nelo, mas a verdade que soubemos é que o nome e o formato foi inspirado no programa Big Show Sic, da SIC (Portugal), o primeiro apresentador foi o Big Nelo, que meses depois levou Khudy e Jeff Brown, que tinha um espaço que passava pente fino nos rappers angolanos, suas músicas e performances, como na altura os SSP viajavam muito em digressão, Kool Klever entrou ao programa para cobrir este vazio, o nome de Kiesse Kelly também marca o principio e a fase mais memorável do programa, e por conseguinte do rap nacional, ninguém discorda a importância e a boa influencia que o programa teve nos rappers de Angola, a rubrica Freestyle trouxe a cultura da rua para a rádio, Disco B, Phathar Mak, Rui Gomes, e a Yara e muitos outros também fizeram parte do elenco do programa que terminou em 3 de Junho de 2012, com José Etxenielo (o nome deve estar mal escrito), na apresentação.

PORQUÊ TERMINOU O BIG SHOW CIDADE?

Especulou-se muito essa sucessão de problemas que rap angolano tem vindo a ter, mas segundo a direcção da Rádio Luanda o programa foi perdendo bastante audiência, sobretudo depois da entrada de José Etxenielo em cena, e assim sendo a necessidade de repor a audiência, levou ao fim do programa.

É bem verdade que o návio não teria afundado se o Kool Klever ainda estivesse a comandar, quanto a sua saída do programa diz-se muita coisa por ai, uma delas apontam a faltas injustificadas, mas a vida não é feita de ouvir dizer nem de se isso ou aquilo, o facto é que programa envelheceu e morreu, e no seu funeral destacaram-se alguns rappers que brilharam na rubrica Freestyle e que hoje estão unidos no projecto mercenários, que brincaram com os factos que mais os marcaram na sua vivência de big show cidade.

As imagens reproduzem os momentos finais do ultimo Big show Cidade (convívio enfrente a Rádio Luanda)

DEPOIS BIG SHOW CIDADE, O BEAT BOX

Em substituição ao BIG SHOW CIDADE na Rádio Luanda, nasce um novo programa, o BEATBOX, só que não é apenas de rap ou melhor é um programa de música ecléctica e alternativa, naturalmente o rap em Angola, assume-se como música alternativa.

BEATBOX é um programa criado, idealizado e apresentado por Vui Vui em parceria com a rapper Eva, o activista NK e blogger Cenas que Curto na produção, a primeira edição do programa abriu com a musica Celebrate de Common do álbum the dreamer/The Believer e foi ao ar as 13:40min do dia 24 de Junho de 2012, em FM 99.9, Rádio Luanda.

Desejamos longa vida ao novo programa e que por esta via o rap angolano conheça uma nova realidade.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

RAINHA DA SUCATA